sexta-feira, 11 de junho de 2010

Será que Eu Tenho Vocação?

Essa pergunta em nossos dias deixa a maioria dos jovens inquietos e desnorteados. Há outro modo de questionar a mesma realidade, de fato o mais correto: a qual vocação Deus está me chamando? Essa é a nossa realidade, todos somos chamados a abraçar voluntariamente e com amor um estilo de vida proposto por Deus.

“O desejo de Deus é um sentimento inscrito no coração do homem, porque o homem foi criado por Deus e para Deus. Deus não cessa de atrair o homem para Si e só em Deus é que o homem encontra a verdade e a felicidade que procura sem descanso” (Catecismo da Igreja Católica, 27). Verificamos que a vocação à qual Deus nos chama desde o momento da nossa concepção até a nossa morte é precisamente o encontro com a verdade e possessão da felicidade: Deus. Amar é a vocação de todos os homens desde o primeiro momento da criação (cf. At 17, 26-28). “Esse é o meu mandamento: que ameis uns aos outros assim como eu vos tenho amado” (cf. Jo 15, 12). Esse mandato também faz parte do nosso chamado: amar os homens, nossos irmãos em Cristo, como Deus os tem amado. Agora podemos resumir o significado da realidade que a palavra vocação expressa: amar Deus e os homens, encontrar a verdade e ser felizes.

Se isso é vocação, então porque se fala de vocação somente àquela que se refere seja à vida consagrada ou ao sacerdócio?

O propósito dessas linhas não é desmentir o uso restrito da palavra vocação, senão expor o significado mais amplo dessa realidade comum a todos. Porém o uso comum de vocação se refere ao seguimento específico da Vocação, ou seja, o modo em que seguimos o chamado da nossa existência. Daí vem os possíveis caminhos ou maneiras, ou seja, vocações, de seguir a Vocação (aquela mais ampla que referimos anteriormente): o sacerdócio, o matrimônio, a vida religiosa e consagrada e a vida solteira.

Após essa breve e simples exposição em que consistem a Vocação e vocações, uma dúvida não pode passar despercebida: como se discerne o caminho ou maneira que Deus quer que O responda e O siga? Como eu, com minha vida atarefada e corrida, vislumbro a vocação específica a que Deus me está chamando? A resposta está na oração. Mas por que a oração? Não é chata? Não é seca? Não seria melhor pesquisar no meu Google?

Deus é quem chama; se Ele chama temos que escutá-lO de alguma maneira. Como? Onde? “O homem anda à procura de Deus. Pela criação, Deus chama todos os seres do nada à existência”. “Mas é Deus que primeiro chama o homem”. “À medida que Deus Se revela e revela o homem a si mesmo, a oração surge como um apelo recíproco, um drama de aliança” (cf. 2566 e 2567 do Catecismo da Igreja Católica). É na oração onde nós encontramos o Deus que nos procura num apelo mútuo. Por um lado, fomos criados para amar e buscamos a melhor maneira de saciar este desejo. Por outro lado, Deus quer nos saciar e espera que nós vamos até Ele na Eucaristia, nas orações organizadas na paróquia, num grupo de oração e, sobretudo no nosso dia-a-dia quando na nossa consciência, o recanto mais profundo da nossa intimidade, escutamos aquela voz: “Onde estás?” (Gn 3, 9) e onde respondemos: «Eis que venho, [...] ó Deus, para fazer a tua vontade» (Heb 10, 7).

Paulo Afonso dos S. Tavares é acadêmico de Jornalismo na PUC – GO, e coordenador da Pastoral da Juventude de Trindade e catequista de Crisma. (http://twitter.com/pa_jornalista)

Artigo publicado no Diario da Manhã do dia 11 de Junho de 2010.

7 comentários:

  1. Hoje tem-se muitas "ferramentas" para direcionar principalmente os jovens a um ou outro caminho...
    E talvez, o problema esteja justamente nesse caminho ao qual uma ou outra pessoa começa a seguir...
    Daí vem a pergunta: que direção tomar? o que devo fazer? será que estou seguindo o caminho correto?!
    Sinceramente eu não sei, e acredito que ninguém saiba exceto nosso Pai... e essa convocação na qual Deus sempre nos chama, nada mais é do que um alento para a nossa real possibilidade de crescimento... bem aventurado aquele que busca uma constante consulta com o nosso Pai... pois só Ele, e só com Ele... teremos realmente a certeza de que estamos no caminho certo... no caminho da glória...

    Adorei o texto, muito esclarecedor.

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  2. QUE BOM , A MINHA PESQUISA UMA COISA E VEIO OUTRA E MAISO Q. LI ME COLOCOU TB. NA OBRIGAÇÃO DE TER UMA VOCAÇÃO .
    POR EX. SOU COSAGRADA AO MATRIMONIO , TENHO FILHOS E NETAS ,TENHO UM COMPROMISSO DE FIDELIDADE , E DE EVANGELIZAR , JESUS DICE===IDE E PREGAI O EVANGÉLIO A TODA CRIATURA .
    POR ISSO Q. DEVEMOS ESTAR SEMPRE NA BUSCA DAS COISAS DO ALTO , BUSCANDO , VEMOS Q. TEMOS COMPROMISSO COM DEUS PAI TODO PODEROSO .GRAÇAS DOU AO PAI.

    ResponderExcluir
  3. http://belguzar anne.blogspot.com18 de setembro de 2010 10:01

    merhaba

    ResponderExcluir
  4. Muito bonito esse texto! Parabéns ao autor!

    ResponderExcluir
  5. O texto é muito interessante, pena que já tenha sido publicado sobre a autoria de um sacerdote da Diocese de são carlos anteriormente mais precisamente no dia 06 de junho de 2010 às 02:39Por Pe. Emílio Carlos Mancini. Devemos também ter a vocação a santidade e a honestidade. Deus nos Chama sermos santos nas pequenas e grandes coisas.

    é assim que nóis cristãos seremos conhecidos, amados e respitados.
    Por Prof. Antonio Carlos Macedo - Cristão Metodista.

    ResponderExcluir
  6. O texto é muito interessante, pena que já tenha sido publicado sobre a autoria de um sacerdote da Diocese de são carlos anteriormente, mais precisamente no dia 06 de junho de 2010 às 02:39Por Pe. Emílio Carlos Mancini. Devemos também ter a vocação a santidade e a honestidade. Deus nos Chama sermos santos nas pequenas e grandes coisas.

    é assim que nós cristãos seremos conhecidos, amados e respeitados.
    Por Prof. Antonio Carlos Macedo - Cristão Metodista.

    ResponderExcluir

Almas perfumadas